sábado, 11 de junho de 2011

Sobre escolhas...

Às vezes sinto-me insegura em ter que fazer escolhas. Acredito que a maioria das pessoas também sintam-se assim. Afinal, escolhas são realizadas todos os dias, minutos e segundos e essas mesmas escolhas determinam o que seremos, teremos e realizaremos durante a vida.

Em minhas escolhas, o que mais me aflige não é errar, ou escolher o mais difícil caminho, ou ainda o que causará mais dano; o que mais me aflige é fazer escolhas medíocres... Como tenho medo!

Por isso, tenho demorado mais ainda para 'bater o martelo' em minhas decisões. Tenho meditado muito sobre elas. E acima de tudo, tenho consultado Aquele que pode me dizer qual será a melhor escolha para mim e para aqueles que estão ao meu redor. Aquele que sabe que, mesmo que penosa, a escolha que eu fizer produzirá frutos de justiça. Aquele que conhece toda minha vida (passado, presente e futuro) e pode me orientar na melhor e mais importante escolha. Aquele que me envia sinais e orientações sobre o que e como escolher.

(Abro um parêntese aqui para falar sobre sinais... Deus sempre nos envia sinais, sempre. Devemos estar atentos e vigilantes à eles. Preste atenção. Deus está te dizendo o que escolher agora, ouça!)

Escolher não pode se tornar algo simples e banal, se não os frutos colhidos também o serão.

Escolher deve ser um ato consciente, pensado, analisado, ponderado em riscos, ganhos e perdas.

E agora, aqui estou eu, em mais uma escolha....

Ouvi ontem, e entrou em meu coração como uma flecha: não podemos ter medo do desconhecido, de pisar em lugares onde nunca pisamos, ou de falarmos o que nos foi ordenado; mas devemos de ter medo, e muito, de vivermos toda uma vida sem ter feito nenhuma diferença...


"A vida sempre nos oferecerá a opção de nos mover em dois sentidos. Podemos ter para ONDE ou para QUEM ir.
Esse movimento muda TUDO e TODO significado do ide!"

video






sexta-feira, 10 de junho de 2011

O que quero!

Quero voar,
ir mais longe,
chegar onde nunca imaginei.

Onde meus pensamentos não alcançam,
meus pés não tocam,
meus olhos não veem.

Flutuar entre sonhos e realidade,
entre desvaneios e verdades
e aterrizar na Rocha.

Quero viver,
mas não por egoísmo
desfrutar de tudo, sem receio.

Beber das águas até saciar,
comprar mesmo sem dinheiro,
comer mesmo sem plantar.

Ser guiada pelo que não vejo,
orientada pelo que creio
e frutificar.

É isso o que quero.

(Baseado na leitura de Isaías 55)
(Foto: Ana Carolina Verdeiro. Primeiro por do Sol em Portugal) 


sexta-feira, 3 de junho de 2011

Era só o que faltava...

Quero deixar registrada minha indignação! :O

Hoje ao abrir um site de relacionamentos fiquei chocada ao ver até que ponto as pessoas podem chegar e como é perigoso o uso indevido desse meio de comunicação em massa (porque nesses sites, geralmente, todos ficam sabendo da vida de todos - quando todos permimtem ser sabido o que deveria ser privado - será que fiz entender-me?)

Enfim, como ia dizendo entrei no site e para minha indignição estava lá uma 'corrente'.

Sabem, aqueles e-mails insuportáveis, enormes, que em nada te acrescentam, que trazem uma mensagem bem "rasa" de esperança e depois pede que você faça algo em troca dela?! Então, esse tipo de corrente,  mas com um diferencial: ela propunha que as pessoas enviassem a mensagem para outras tantas, para que as últimas não fossem negadas por Jesus. (é... pode indignar-se comigo!)

Isso é insultar a inteligência Daquele que é dono de toda a sabedoria. É insultar àqueles que caminham na Palavra, conhecem e andam em intimidade com Deus. É insultar a inteligência daquele que conhece um pouco da Bíblia e um pouco do Deus que a inspirou. Isso é insultar àqueles que pensam um pouco mais (rs).

Fiquei indignada com a superficialidade que as pessoas estão colocando o relacionamento com Deus. Em como se dá esse relacionamento (não de forma imposta ou de troca, como nós, seres humanos). Indignada em quanto tempo se perde com bobagens, quando podería-se dar um tempo de qualidade pra Ele.

Vamos pensar!

Não custa nada...
Talvez um pouco de tempo...
Mas se temos tempo pra tantans bobagens, também o temos e de sobra,  para pensar.